A gente se pergunta isso porque tem sido um assunto frequente não só entre usuários da do Facebook, como também de pessoas que trabalham com conteúdo digital. Pelo menos na Nossa, não sabemos a resposta. Mas desconfiamos seriamente de que ela seja não.

Faz anos que acompanhamos especulações a respeito do Face, e uma coisa é certa: o site segue crescendo. Ok, algumas pesquisas dizem que o número de cadastros caiu, mas não se pode ver esse dado de forma isolada. Temos mais empresas e entidades atuando. Mais grupos discutindo, mais vendas sendo realizadas. E muito, muito mais diálogos inbox sendo promovidos.

A novidade da vez é de que os conteúdos comerciais perderam alcance propositadamente graças à retomada do o objetivo inicial da ferramenta, que seria aumentar a interação entre pessoas. Na nossa opinião, isso não é grave. Claro, vai depender de como essa mudança se desenrolar, mas era esperado, na medida em que o site precisa de verba para se manter e vai dar um jeito de fazer com que as páginas invistam mais para seguir aparecendo.

Quando se gera material efetivamente de qualidade, ele segue rodando, engajando e melhorando o alcance da marca de forma orgânica, sem impulsionamento. Ou seja, está mais difícil, mas não impossível, de capitalizar na plataforma. Isso demanda mais dedicação, conhecimento de público e da própria ferramenta por quem posta. Por aqui, virou desafio, e estamos curtindo os resultados!

Para mandar no grupo da família: um guia de como checar se uma notícia é falsa

Leia mais →

‘Essa tragédia do Museu Nacional não é um acaso, faz parte de um projeto’

Leia mais →

Cada cliente no seu alvo

Leia mais →