Como vai o início de 2018 por aí? Aqui na Nossa, onde nos consideramos sempre em construção, a gente começou reavaliando várias posturas e convicções. Hoje, viemos dividir essa experiência com quem quiser ler.

Tudo começou com uma vontade grande, individual, de melhorar as energias e as vibrações no ano novo. Apesar das mudanças super empolgantes e animadoras que tivemos, 2017 foi um período de tensões e sustos em função da conjuntura socioeconômica. Isso nos fez perceber que precisávamos descontaminar pra atrair ainda mais coisas boas. Buscamos ajuda externa e, com uma consultoria especializada, já começamos a nos ver diferentes dentro e fora da empresa.

Entre as mudanças que estamos buscando, talvez a mais cobiçada seja a otimização do trabalho como um todo. Adoramos o que fazemos. Mas queremos que cada ideia, ação ou sugestão seja vivenciada por nós e pelos nossos clientes tanto com ainda mais sorrisos quanto melhores resultados. Novas dinâmicas e organizações estão em construção para que o atendimento seja ágil, acolhedor, eficiente e propositivo. Enquanto isso, também intensificamos a clareza em todos os processos para facilitar a vida dos envolvidos.

Parecem atitudes básicas, mas não são. E olha que nosso negócio é justamente a comunicação. O problema é que, como em qualquer equipe, rotina ou parceria, algumas fórmulas viram quase um vício. Mesmo que deem certo na maioria das vezes, são como âncoras que nos mantêm sempre no mesmo lugar. E é com essa meta principal de seguir crescendo como marca, time e seres humanos, que mantivemos o empenho e a coragem de seguir nos transformando e combatendo a inércia e a comodidade. Afinal, não foi à toa que o que era Própria virou Nossa, né.

 

Cada cliente no seu alvo

Leia mais →

Após adotar desconto, rede de cafeterias deixa de usar 2 mil copos descartáveis

Leia mais →

Manuela d’Ávila e o manterrupting, a arte de reprimir mulheres

Leia mais →